Vitória/BA [BRA]

Atualizado em 04/09/2016
Nome Oficial Esporte Clube Vitória
Fundação  13/05/1899
Status Atual  Em atividade
Endereço  Parque Esportivo Benedito Luz
Bairro  Toca do Leão
Cidade  Salvador
Estado  Bahia
CEP  40000-000
País  Brasil
Retrospecto  Clique aqui para ver todos os campeonatos com participação deste time
Localização 
Telefone  (71)373-5200/371-1088
Apelido 
Mascote  Leão
Uniforme 
Equipe Ranqueada  Vitória
Grafia Orig.  Victoria
Grafia Orig. Oficial  Sport Club Victoria
CNPJ 
Site Oficial  www.ecvitoria.com.br
Outros Sites 
Outros Sites 
Estádios  Manoel Barradas (Barradão), Salvador/BA, Brasil
Octávio Mangabeira (Arena Fonte Nova), Salvador/BA, Brasil
Alberto Oliveira (Jóia da Princesa), Feira de Santana/BA, Brasil
Pedro Caetano, Ipiaú/BA, Brasil
Arthur Moraes (Campo da Graça), Salvador/BA, Brasil
Roberto Santos (Pituaçu), Salvador/BA, Brasil
Rio Vermelho, Salvador/BA, Brasil
Octávio Mangabeira (Fonte Nova), Salvador/BA, Brasil
José Américo de Almeida Filho (Almeidão), João Pessoa/PB, Brasil
Armando Oliveira, Camaçari/BA, Brasil
Histórico  Um dos primeiros clubes brasileiros, o Club de Cricket Victoria foi fundado no ano de 1899, em um a noite chuvosa do dia 13 de maio, quando os irmãos Valente, Arthur e Arthêmio, reuniram um grupo de amigos formado pelos mais representativos jovens da sociedade baiana, no casarão da família, no Corredor da Victoria. Onde, hoje, está localizado o Edifício Casablanca.

O encontro reuniu os jovens Adolfo Irineu dos Santos, Alberto Teixeira, Antônio Almeida, Antônio Guimarães, Augusto Francisco Lacerda, Carlos Carvalho, Carlos Teixeira, Herbert Filgueiras, Joaquim Costa Pinto, Joaquim Chaves, Jorge Wilcox, Juvenal Teixeira, Leobino Cavalcante, Octavio Rabelo, Pedro Almeida, Quintino Ferreira, Arthur Valente, Arthêmio Valente (primeiro presidente, eleito por aclamação) e Fernando Kock (que veio assumir a presidência 18 dias depois).

Como quase todos residiam no bairro da Victoria, no centro de Salvador, optaram pelo nome Victoria, pela forte influencia da língua inglesa na época e por se tratar de uma equipe de críquete, esporte inglês muito disputado pela colônia britânica que residia em Salvador.

Essa modalidade esportiva era apreciada pelos baianos da época, mas era praticada estritamente pelos ingleses, restando aos brasileiros a tarefa de buscar e repor as bolas no campo, como gandulas privilegiados. O que gerava uma marginalização dos brasileiros neste esporte. Com o intuito de combater essa discriminação, foram sugeridos nomes e cores patrióticas para o Club de Cricket Victória, como o verde e amarelo. Mas a dificuldade em encontrar tecidos nessas cores fez com que fosse escolhido o preto e branco como as cores do Club.

Em outubro de 1901, José Ferreira Júnior, conhecido como Zuza, retorna da Inglaterra trazendo o Futebol. Reúne alguns amigos que jogavam críquete e promove o primeiro "baba" registrado em Salvador, no Campo da Pólvora. Anos depois Zuza chegou a jogar pelo Victória em partidas amistosas.

Logo em 1902, o Victoria adotou o futebol como modalidade, assim como o atletismo, a natação e o remo. Ainda nesse ano, a agremiação mudou de nome para Sport Club Victoria, pois o críquete já não era a único esporte praticado; e adota as cores vermelho e preto por sugestão do Sr. Cesar Godinho Spínola, vindo do Rio de Janeiro e ex-remador do Flamengo.

Em 13 de setembro de 1902, o Victoria realizou sua primeira partida de futebol vencendo o São Paulo Bahia Football Club por 2x0, na inauguração do Campo dos Mártires - atual Campo da Pólvora, "quando foram vivamente aplaudidos, saindo de campo nos braços dos seus admiradores e sob os beijos das ilustres senhorinhas que lá estiveram", comentou o jornal Correio do Brasil.

O futebol era um esporte amador em todo o Brasil nessa época, tendo se profissionalizado apenas em 1933. Mas em 1905 foi fundada a Liga de Bahiana de Sports Terrestres, com quatro clubes: o Sport Clube Bahiano, o Clube Internacional de Críquete, o São Paulo Bahia Football Club e o Sport Club Victoria.

O primeiro título do Victoria no Campeonato Baiano, organizado pela Liga, foi em 1908 (com 100% de aproveitamento), seguido do bicampeonato em 1909.

Em 1946 o nome do clube é aportuguesado para EC Vitória.

Os esportes olímpicos continuaram sendo a prioridade do Vitória até o início dos anos 50, quando o futebol deixa de ser uma categoria amadora e em 1953 monta uma equipe profissional, que viria a conquistar o Campeonato Bahiano deste ano (o primeiro a ser disputado integralmente na Fonte Nova). Era o início da paixão do rubro-negro pelo futebol do seu clube. Ainda na década de 50, o Vitória levantou as taças de 1955 e 1957.

O início dessa década de 80 anunciou mudanças favoráveis para o Vitória. Foi nesse período que começou uma gestão voltada para a conquista de um antigo sonho Rubro Negro: ter um estádio próprio. Junto a uma maior valorização das categorias de base. Tais decisões representaram os primeiros passos para a mudança do Vitória e da história do futebol na Bahia. Nessa década o Vitória ergueu as taças de 80, 85 e 89.

Um dos fatos marcantes desta década aconteceu no dia 1º de agosto de 1985, quando o clube lançou o seu novo Hino, de autoria do compositor Walter Queiroz Júnior. Era a campanha "Este hino vai levantar o Estádio", que pretendia arrecadar recursos para a conclusão do Barradão.

E em 1986 o Estádio Manoel Barradas é inaugurado, dando continuidade ao projeto do Complexo Esportivo da Toca do Leão, que depois passou a se chamar Complexo Esportivo Benedito Dourado da Luz, iniciado no final dos anos 70.

Reflexo do que foi feito nos anos 80, na década de 90 o Vitória já havia alcançado sua independência financeira e os resultados foram aparecendo. Foram seis Campeonatos Baianos conquistados durantes esses 10 anos: 1990, 1992, 1995, 1996, 1997 e 1999.

O ano de 1993 foi um marco para o Vitória. Com um elenco que mesclava garra e juventude, o rubro negro foi vice-campeão brasileiro.

Fontes: Site do clube, Marlon Krüger Compassi
Presidentes  2010: Alexi Portela
2007: Jorge Sampaio Silva Filho
1985: José Alves Rocha
1908: Alberto M. da Costa Martins
1917: Fernando Kock
1899: Arthêmio Valente
Hino  Autor: Walter Queiroz Jr.

Eu sou Leão da Barra, tradição
Eu sou vermelho e preto.
Eu sou paixão
Pelos campos do Brasil
Nosso grito já se ouviu...
ô..ô..ô...Ô..ô..ô..
Ô Vitória!
Eu sou um nome na História
Eu sou Vitória com emoção.
Eu sou um grito de glória
Eu sou Vitória de coração.
ô..ô..ô...Ô..ô..ô..
Ô Vitória!
Escudos na linha do tempo  Clique aqui para ver os escudos usados por este time na linha do tempo
Escudos Anteriores  Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA] Vitória/BA [BRA]
Uniforme  Vitória/BA [BRA]
Mascote